Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2020

MADAME TÉOFILA - Conto de Théophile Gautier

Imagem
  MADAME TEÓFILA Théophile Gautier (1811 – 1872) Tradução de Olavo Bilac (1865 – 1918)  e Manuel Bonfim (1868 – 1932)    Madame Teófila era uma gata avermelhada, de peito branco, nariz cor-de-rosa e olhos azuis,  assim chamada porque vivia comigo numa perfeita intimidade, dormindo aos pés da minha cama, fazendo a sesta no encosto da minha poltrona enquanto eu escrevia, acompanhando-me ao jardim nos meus passeios, assistindo às minhas refeições e interceptando, muitas vezes, o bocado que eu ia levar à boca. Uma vez, um dos meus amigos, afastando-se por alguns dias, confiou-me um papagaio, para que eu o guardasse enquanto durasse a sua ausência. O pássaro, sentindo-se deslocado, subira até o alto do poleiro, e circunvagava em torno, com ar desconfiado, aqueles olhos semelhantes a tachas de latão, encarquilhando as membranas brancas que lhe servem de pálpebras. Madame Teófila nunca vira em toda a vida um papagaio; e esse animal, novo para ela, causava-lhe evidente surpresa. Im